quarta-feira, 18 de novembro de 2009

PROJETO DE INCENTIVO À LEITURA, INTERPRETAÇÃO E ESCRITA DE TEXTOS PARA ALUNOS COM NECESSIDADES ESPECIAIS

Escola Municipal Professora Josélia Florêncio da Silveira
Caruaru - PE Ano- 2009
Professora: Sandra Lúcia Cordeira de Araújo Souza


INTRODUÇÃO

Os alunos com necessidades especiais apresentam dificuldades na disciplina de língua portuguesa devido à falta de recursos para auxiliar os professores a explorar os conteúdos para esses alunos. Esse projeto irá proporcionar recursos pedagógicos e orientações para subsidiar o professor de língua portuguesa a lidar com alunos especiais na sala regular, abrangendo muitos aspectos positivos, entre eles: a percepção da alegria dos alunos especiais em encontrarem na leitura e escrita uma fonte prazerosa para o desenvolvimento intelectual e social.

OBJETIVO GERAL

*Identificar estratégias e procedimentos necessários ao planejamento e a construção de textos.
*Adaptar recursos que facilitem o aprendizado de alunos com necessidades especiais.
*Conscientizar os professores da relevância no desenvolvimento e estimulação da linguagem expressiva, interpretativa e da escrita dos alunos.

OBJETIVO EXPECÍFICO

Estimular o gosto pela leitura, interpretação e escrita de textos, oferecendo oportunidades aos alunos com necessidades especiais inseridos na sala regular, desenvolver suas capacidades e potencialidades, buscando promover seu desenvolvimento integral.


AULA- Da ideia à escrita do texto
Visita a biblioteca da Escola

DESENVOLVIMENTO

1ª ETAPA

*Informar aos alunos da visita à biblioteca que irão participar.
*Conversar com os alunos sobre os roteiros da visita que irão fazer para organizar as tarefas que serão realizadas.
*Lembrar os alunos para saírem de sala com lápis e papel na mão para anotar as ideias e o que mais pensarem enquanto experimentam a atividade.
*pedir o auxilio de alguns alunos para ajudarem os alunos especiais.

2ª ETAPA

*Ressalte para os alunos a importância de anotarem a ordenação dos fatos, e a importância cronológica da visita (horário de chegada, planejamento do tempo do percurso e horário de saída) e a adequação das informações a cada momento e ambiente da visita.


3ª ETAPA

*Orientar os alunos para os lugares em destaque da biblioteca: livros de vários gêneros literários, mapas, cartazes de orientação e informações em geral e para deficientes auditivos, físicos e visuais.

4ªETAPA

INTERAÇÃO REFLEXIVA
*Ao retornarem da aula passeio o professor deverá dar início ao processo de exposição de ideias, observações e aspectos relevantes da atividade vivenciada.


5ªETAPA

*Ao retornarem para sala de aula o professor irá solicitar a seguinte atividade:
1-O aluno irá produzir um texto de acordo com a aula passeio vivenciada.
2-Escrever um texto simples, mas organizado. Selecionando apenas os detalhes mais relevantes.
3-Ser bastante claro.

FLEXIBILIZAÇÃO DE RECURSOS PARA ALUNOS COM NECESSIDADES ESPECIAIS

Alunos com DEFICIÊNCIA AUDITIVA

*Se o professor souber a Libras deve acompanhar o aluno e fazer os sinais de acordo com os ambientes visitados.
*Se o professor não souber a Libras, deve pedir o auxilio de um intérprete de Libras ou um professor especializado da sala de recursos.
*Se não houver intérprete ou professor especializado, o professor deve acompanhar o aluno e através de gestos mostrarem o ambiente visitado.
*Na produção de texto o aluno poderá ter um tempo maior e se necessário concluí-lo em contra turno em casa ou na sala de recursos.
*Usar recursos visuais de comunicação que sirvam de apóio à informação transmitida oralmente (desenho, gravuras, vídeo, cartaz, etc.)
*Para o Professor conhecer a Libras, poderá utilizar o dicionário de LIBRAS que está disponível no site www.acessobrasil.org.br
*Fale de frente para o aluno.

Alunos com DEFICIÊNCIA VISUAL

*Acompanhar o aluno aos espaços da biblioteca e fazer com que ele conheça os livros e objetos através do tato.
*Na produção de texto pode-se utilizar o programa do computador DOSVOX.
*Para alunos com baixa visão deve-se utilizar o kit para baixa visão enviado pelo mec.
*O aluno poderá concluir a tarefa em casa ou no contraturno na sala de recursos.

Alunos com DEFICIÊNCIA INTELECTUAL

*Acompanhar o aluno mostrando e explicando cada ambiente da biblioteca.
*Pedir para o aluno comentar o que foi visto e o que ele gostou mais.
*Se o aluno tiver dificuldade de responder, o professor deverá falar um resumo do ambiente que foi explorado, isso faz com que o aluno lembre-se das imagens vivenciadas.
*Na produção de textos deve-se utilizar:
RECURSOS IMAGÉTICOS- figuras, fotos, letras ou cartazes.
BANCO DE PALAVRA-palavras escritas em tiras de papel de acordo com o conteúdo trabalhado para formar frases e textos.
*O professor deverá fazer a leitura das palavras e das imagens expostas no quadro.
*O aluno produzirá um texto apontando para as palavras expostas e o professor deverá auxiliar na colocação de artigos, preposições e coerência das frases.
*O aluno também poderá produzir um texto através de desenhos

IMPORTANTE

*Quando usar o quadro para expor conteúdos, reserve um período maior para que aqueles alunos com deficiência possam olhar ou fazer anotações, se for o caso.
*Os slides, como todos os recursos visuais, são um material essencial para os surdos, além de ajudarem os demais a compreender o conteúdo.
*Para que o surdo compreenda a tarefa pedida, escreva as instruções no quadro ou peça que o intérprete explique em Libras. Ao utilizar as mesmas imagens apresentadas em sala de aula, o aluno com deficiência auditiva, pode com mais facilidade associá-la ao conteúdo visto.
*Para o aluno com deficiência auditiva e visual parcial, quando o professor trabalhar com textos, deve providenciar cópias ampliadas dos textos na íntegra. Digite-os em corpo 26 ou maior, em negrito e espaço duplo. Uma alternativa é a cópia a mão com caneta hidrográfica e letra bastão grande e espaço duplo. Se necessário, prepare um texto ampliado com as anotações destacadas em cores.
*Os alunos deficientes auditivos e com baixa visão podem também escrever também com letras grandes.
Fonte de pesquisa: Revista – Nova escola-edição especial nº 24 ano 2009


AULA- Gêneros Literários – Fábulas

OBJETIVO- A partir desse gênero tão conhecido, fazer uma reflexão a respeito das características que o aproximam de outros textos e permitem identificá-lo como fábula.


CONTEÚDO- Fábula- A Cigarra e a Formiga
Versão de La Fontaine

DESENVOLVIMENTO

1ª ETAPA
*Assistir o vídeo: A Cigarra e a Formiga.

2ªETAPA
*Interação Reflexiva (ORALIDADE)
*Expor no quadro negro uma cópia da fábula e as características que fazem desse texto uma fábula: personagens, temas, intenções do autor, conclusões do leitor.
*Propor exercícios de interpretação do texto e reflexão sobre os conceitos de trabalho da cigarra e da formiga.

3ªETAPA
*Propor que os alunos escrevam uma ou duas frases sobre a “moral da história”.

4ªETAPA
*Expor as produções no mural da classe.

FLEXIBILIZAÇÃO DE RECURSOS PARA ALUNOS COM NECESSIDADES ESPECIAIS

ALUNOS COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA

*CD ou DVD – Clássicos da Literatura Mundial – Fábulas - LIBRAS
Educação de Surdos – INES- MEC-SEESP
*Utilizar cópias do texto digitalizado.
Fonte em Libras – Libras Zíper
A cigarra e a formiga




A CI G A R R A E A F OR MI G A

*o aluno com deficiência auditiva pode ter um tempo maior para a produção de texto e, se necessário, concluí-lo no contraturno em casa ou na sala de recursos.
*Fale de frente para o aluno.
*As imagens, tanto de fotos como de vídeos, facilitam a compreensão.

ALUNOS COM DEFICIÊNCIA FÍSICA

*O professor deverá dar uma explicação prévia sobre o que será feito.
*Expor o trabalho para que o aluno acompanhe.
*É importante que o aluno tenha sempre o texto ao alcance dos olhos e um colega acompanhe a leitura com ele. Caso se disperse o amigo pode indicar com o dedo onde ele está lendo.
*Na interpretação oral, se o aluno não falar, use a placa de comunicação, em que há ícones e palavras representando sentimentos, sensações, necessidades, perguntas e afirmações.

AVALIAÇÃO

A avaliação dos alunos com necessidades especiais deve ser feita com base nas expectativas do currículo flexibilizado para ele e planejada com a escola.

RESULTADOS ESPERADOS

O projeto proporciona aos alunos com necessidades especiais o desenvolver de atitudes mais expressivas e criativas, que são de extrema importância para alunos, professores, profissionais e também para a família de cada aluno. São respostas às necessidades que cada aluno possui: quanto à linguagem, a socialização, à descoberta, uma reação, um sorriso, que muitas vezes identificam-se como uma resposta.





PESQUISA BIBLIÓGRÁFICA

INES- Instituto Nacional de Educação de Surdos
MEC- Ministério da educação- SEESP- Secretaria de Educação Especial
NOVA ESCOLA- Edição Especial- INCLUSÃO nº 24 / 2009
INCLUSÃO- revista da Educação especial nº 03/2006
GESTAR II- Programa gestão da Aprendizagem Escolar – Língua Portuguesa: Atividades de Apoio à Aprendizagem – MEC/2008

Professora Cursista

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário